quarta-feira

A Lenda da Linha Vermelha ( Akai ito )




“Você nunca poderá escapar de seu coração, então é melhor ouvir o que ele tem a dizer…” – Paulo Coelho, “O Alquimista”
De acordo com uma lenda Oriental, as pessoas destinadas a se conhecerem têm uma linha vermelha amarrada em seus dedos. Esta linha nunca vai embora e fica constantemente amarrada, apesar do tempo e da distância. Não importa o quanto demore para conhecer essa pessoa, não importa o tempo que você passe sem vê-la, e também não importa se vive no outro lado do mundo: o fio estica-se ao infinito, mas nunca se parte.
Este fio está com você desde seu nascimento e te acompanhará, em maior ou menor tamanho, mais ou menos emaranhado, ao longo de toda sua vida. Assim, o Avô da Lua sai toda noite para se encontrar com os recém-nascidos e amarrar uma linha vermelha em seu dedo, uma linha que vai decidir seu futuro, que irá orientar estas almas para que nunca se percam … A lenda segue assim:
“Há muito, muito tempo atrás, um imperador aprendeu que em uma das províncias do seu reino vivia uma bruxa muito poderosa que tinha a capacidade de ver o fio vermelho do destino, e mandou trazê-la a sua presença. Quando a bruxa veio, o imperador ordenou-lhe olhar a outra extremidade do seu fio e levá-lo para o que seria sua esposa. A bruxa concordou com este pedido e começou a seguir e seguir o fio. Esta busca os levou a um mercado, onde uma pobre camponesa com um bebê nos braços oferecia seus produtos. Ao chegar onde estava esta camponesa, se colocou frente a ela e convidou-a a ficar de pé. Quando o jovem imperador se aproximou, a bruxa disse.. “Aqui termina a sua linha “, mas ao ouvir isso o imperador ficou com raiva, pensando que a bruxa estava fazendo uma piada, empurrou a camponesa que ainda estava segurando seu bebê em seus braços e a fez cair, causando uma grande ferida no rosto do bebê. Ordenou que seus guardas prendessem a bruxa e cortassem sua cabeça.
Muitos anos mais tarde, chegou a hora de o imperador casar-se, e sua corte o recomendou que a melhor coisa era se casar com a filha de um general poderoso. Ele aceitou e chegou o dia do casamento. E na hora de ver pela primeira vez o rosto de sua esposa, que entrou no templo com um belo vestido e um véu que cobria seu completamente rosto … viu que aquele rosto bonito tinha uma cicatriz peculiar na testa.”
Esta lenda é tão enraizada nas culturas orientais que milhões de pessoas carregam consigo uma verdadeira linha vermelha.
Uma linha vermelha a qual não podemos impor os nossos caprichos e nossa ignorância, uma linha vermelha que não podemos destruir. Um linha vermelha que vai direto ao coração, que se conecta ao amor eterno. O amor de uma mãe, um pai, um irmão, um filho, um amigo, um homem ou uma mulher … Um fio vermelho que simboliza o amor e interesse comum … Cada um interpreta como quiser, mas muitas vezes as casualidades são tão fortes que não deixam dúvidas … Se chamam almas gêmeas, corações entrelaçados com uma ou várias eternidades para viver …